jazzportugal.ua.pt
HOME CONTACTOS BUSCA SUBSCRIÇÃO
 
agenda
media
escritos e entrevistas
músicos
jazzlinks
  Clubes  ::  Concertos  ::  Festivais

agenda > festivais > ver festival
Seixal
Localidade:
Local: Auditório Municipal - Seixal
Inicio: 18-10-2018 Fim: 27-10-2018



           

Dia 18 de Outubro, 5ª feira 22.00h

 

MARK GUILIANA QUARTETO

Mark Guiliana -Bateria

Chris Morrissey Contrabaixo

Fabian Almazan - Piano

Jason Rigby Saxofone

A 19ª edição do Festival Internacional Seixal Jazz abre este ano com um baterista e compositor americano, Mark Guiliana, nascido em Florham Park, New Jersey, em 1980.

Mark Guiliana é hoje um reconhecido baterista de todo o espectro musical, do jazz ao rock, à música eletrónica, situando-se na vanguarda dos bateristas, pelas novas perspetivas e sonoridades que criou e desenvolveu neste instrumento, misturando o virtuosismo da bateria acústica com as batidas e os processamentos eletrónicos.

Guiliana foi escolhido como o melhor Jazz Drummer no Modern Drummer Readers Poll 2017. A revista Down Beat considerou o seu último trabalho como líder, "Jersey", editado em 2017, entre o excelente e a obra-prima.

Participou, juntamente com Donny McCaslin, no último trabalho discográfico de David Bowie, o multi premiado "Black Star".

A par da sua carreira a solo, do grupo Beat Music que lidera, acompanha regularmente Avishai Cohen, Brad Mehldau, Lionel Loueke, Dave Douglas.

Mark Guiliana apresenta no Seixal o seu quarteto formado por músicos da cena musical nova-iorquina, com destaque para o pianista cubano Fabian Almazan.

Fabian Almazan pianista cubano, nascido em Havana em 1984, exilado em Miami, Flórida, onde inicia os seus estudos de piano, ganhando inúmeras bolsas de estudo e obtendo todas as mais altas graduações em piano e composição.

Em 2003 muda-se para Nova Iorque onde estuda com Kenny Barron na Manhattan Scholl of Music.

Desde 2007 toca regularmente com Terence Blanchard, Stefon Harris, Ambrose Akinmusire, Paquito D´Rivera.

Em 2011 edita o seu primeiro trabalho como líder, a revista Down Beat considerou o seu último trabalho de 2017, o álbum "Alcanza", como uma obra-prima.

Dia 19 de Outubro, 6ª feira 22.00h

 


 

JOSE SALGUEIRO TRANSPORTE COLETIVO

 

 

José Salgueiro bateria

João Paulo Esteves da Silva piano

Guto Lucena saxofone, clarinete baixo

Cícero Lee contrabaixo

Mário Delgado - guitarra

 

José Salgueiro faz os seus estudos na Academia dos Amadores de Musica, no Conservatório Nacional e no Hot Clube de Portugal.

De 1983 a 1991 fez parte da formação do grupo Trovante, tocou e gravou com os maiores nomes da nossa música popular, Sérgio Godinho, José Mário Branco, José Afonso, Rui Veloso, Resistência, Camané,etc.

É um dos fundadores do projeto de percussão TIM TIM por TIM TUM, em 1998 é convidado pela organização da EXPO 98 para apresentar o seu espetáculo de percussão "ADUFE".

Membro dos Lokomotiv de Carlos Barretto, esta é a primeira gravação como líder de José Salgueiro."Transporte Coletivo" recebeu da crítica especializada os melhores elogios, um trabalho bem-disposto, com influências muito marcadas dos muitos estilos de música por onde José Salgueiro andou.

Apresenta-se no Seixal com a excelente formação incluída no seu trabalho, onde se torna difícil o destaque a algum dos músicos, todos eles já habituados a este palco por onde já passaram por diversas vezes.

Dia 20 de Outubro, sábado 22.00h

 

 

AARON PARKS TRIO

Aaron Parks piano


Ben Street contrabaixo

Billy Hart - bateria

Aaron Parks, pianista americano, nasceu em Seatle,Washigton, em 1983, chamou a atenção da crítica e do público quando integrou a formação do trompetista Terence Blanchard, com quem grava quatro álbuns, incluindo o trabalho para a banda sonora do filme "Inside Man" de Spike Lee em 2006.

Desde novo, com 14 anos iniciou os seus estudos de piano na Universidade de Washington através da escola de transição e Early Entrance Program e aos 15 anos foi selecionado para participar no Grammy High School Jazz Ensembles e aos 16 anos muda-se para a School of Music em Nova Iorque. Tocou com uma variedade imensa de músicos e a partir de 1999 edita o seu primeiro trabalho como líder, em 2008 editou para a Blue Note o álbum "Invisible Cinema".

Em 2013 edita o seu primeiro trabalho para a editora ECM e em 2017 grava para esta editora o trabalho "Find the Way" com a formação que irá apresentar no Seixal, o baixista Ben Street e o baixista Billy Hart, trabalho inspirado na música de Alice Coltrane e Shirley Horn, que mereceu as melhores críticas da Down Beat e da imprensa especializada.

 

Billy Hart, nasceu em 1940 em Washington D.C., onde, no início da sua carreira acompanha músicos da soul, Otis Redding e Sam and Dave.

Hart é um baterista de uma grande flexibilidade e criatividade que acompanhou inúmeras formações de jazz.

Em 1968, mudou-se para Nova Iorque onde grava com McCoy Tyner, Wayne Shorter e Stan Getz.

De 1969 a 1973 fez parte do sexteto de Herbie Hancock e em 1972 grava, com Miles Davis o álbum "On the Corner".

Desde o início dos anos 90, Hart está associado ao Conservatório de Musica de Oberlin e a uma serie de outras instituições superiores de ensino. Hart tem vários trabalhos discográficos editados como líder e hoje integra várias formações.

 

Dia 24 de Outubro,4ª feira 15.00h


"Seixal Jazz vai à Escola" Concerto pedagógico

 

ISABEL RATO QUINTETO

 

Isabel Rato piano

João David Almeida - voz

Desidério Lázaro saxofone soprano e tenor

André Rosinha Contrabaixo

Alexandre Alves Bateria

Concerto comentado do projeto "O Seixal Jazz vai à Escola", com a participação do quinteto da pianista Isabel Rato, dirigido a alunos e professores participantes nesta iniciativa das escolas EB’s do Concelho, Isabel Rato, nasceu em Lisboa em 1981 e reside atualmente no concelho do Seixal. Iniciou os seus estudos de piano com a professora Julieta Boavida aos 5 anos, licenciou-se em piano jazz na Escola Superior de Musica de Lisboa.

Além do piano desenvolveu estudos nas áreas do canto e da guitarra clássica. Participou em vários master classes com pianistas mundialmente reconhecidos, John Taylor, Fred Hersh, Mário Laginha e João Paulo Esteves da Silva.

Isabel Rato é hoje líder da sua própria formação que se apresenta em sexteto e a sua música muito influenciada pela improvisação, World music e clássica.

Em 2017 editou o seu primeiro trabalho, "Para além da curva da estrada", que mereceu as melhores opiniões da crítica e imprensa.

Para este concerto comentado apresenta-se com uma formação em quinteto.

Dia 24 de Outubro, 4ª feira 22h00

KUBA WIECEK TRIO

Kuba Wiecek saxofone alto

Michael Baranski contrabaixo

Lukasz Zyta bateria

Kuba Wiecek é um jovem saxofonista e compositor nascido em 1994, na Polónia na cidade de Rybnick.

Iniciou os seus estudos de música na Polónia, mudando-se depois para Copenhagen onde prossegue a sua formação musical no Rhythmic Music Conservatorium.

Fortemente influenciado por Charlie Parker e Coltrane, divide o seu tempo com atuações em Nova Iorque, Copenhagen e Varsóvia.

Em Nova Iorque estuda com os músicos Lee Konitz, Steve Lehman e David Biney e desenvolve formação em estudos de música clássica.

Edita o seu primeiro trabalho em 2017, como líder, "Another Raindrop", em trio com o contrabaixista Michael Baranski e o baterista Lukasz Zyta, fortemente aclamado pela crítica.

 

Dia 25 de Outubro, 5ªfeira 22.00h

Roots Magic

Alberto Poppolla - clarinetes


 

 

Errico De Fabritiis saxofone alto

Gianfranco Tedeschi contrabaixo

Fabrizio Spera - bateria

Roots Magic é um quarteto italiano, de inspiração americana, sediado em Roma, que explora e tem vindo a desenvolver um repertório entre os Blues avant garde e o criative jazz, o jazz de improvisação fortemente influenciado por Julius Hemphill, John Carter e Sun Ra.

A designação do grupo e do seu primeiro trabalho discográfico inspira-se no livro "Hoodoo Herbs and Roots Magic", uma espécie de manual sobre ervas e raízes usadas na tradição mágica no sul dos Estados Unidos.

A sua música incorpora a tradição da black music, os country blues dos anos 20, musica originalmente pensada para voz e guitarra e um lado mais criativo e avançado do jazz, mas igualmente implícito nas tradições dos blues.

Roots Magic editou os seus únicos trabalhos pela editora portuguesa Clean Feed, os álbuns " Hoodoo Blues" de 2015 e "Last Kind Words" de 2017.

 

Dia 26 de Outubro, 6ªfeira 22.00h

JOAO HASSELBERG & PEDRO BRANCO

João Hasselberg contrabaixo, baixo elétrico

Pedro Branco guitarra

 

Afonso Cabral voz

Afonso Pais guitarra

João Lencastre bateria

João Hasselberg é um contrabaixista e compositor, nascido em 1986, atualmente a residir em Copenhague. Iniciou os seus estudos de piano em casa aos 7 anos, prosseguindo depois na Academia de Amadores de Musica de Évora onde continuou os seus estudos de piano. Aos 16 anos inicia a sua aprendizagem no baixo elétrico na escola de jazz Luis Vilas Boas no Hot Clube, onde mais tarde haveria de ser professor. Aos 20 anos ingressa no conservatório de musica de Amesterdão onde alcançou a sua licenciatura.

Em 2010 participa na gravação ao vivo que o quarteto de João Firmino efetuou no Seixal Jazz Clube, posteriormente editado pela JACC records.

 

Em 2013 edita o seu primeiro trabalho como líder o álbum, " Whatever it is you´reseeking.Won´t come in the form you´re expecting".

A sua formação e a dos músicos que o rodeiam é, inequivocamente, jazzística mas aquilo que nos mostra nos seus trabalhos, produto da sua imaginação, incorpora o pop, folk, músicas do nosso cancioneiro popular.

Em 2016 grava no Auditório Municipal do Fórum Cultural do Seixal o trabalho "Dancing our way to death ", lançado nesse ano como edição de autor, gravação considerada pelo critico Nuno Catarino como um dos melhores discos de jazz português do Século XXI, com uma capa de design gráfico, da autoria de João Pombeiro, surpreendente. Destas gravações que aqui realizou com o guitarrista Pedro Branco, foi posteriormente editado pela Clean Feed, o trabalho "From order to chaos", edição com temas mais improvisados, mais abertos. Nestas gravações, de assinalável qualidade ao nível da composição e interpretação, tudo foi meticulosamente pensado, desde os músicos convidados aos arranjos, etc.

Pedro Branco é um guitarrista compositor, nascido em Lisboa, atualmente a residir em Amesterdão, tem vindo a afirmar-se rapidamente na cena do jazz nacional.

Iniciou a sua aprendizagem na guitarra clássica aos 12 anos e aos 18 anos ingressa na Universidade Lusíada onde se licenciou, conclui os seus estudos em Amesterdão onde conclui uma segunda licenciatura.

Em 2016 editou um trabalho em trio com Jorge Moniz e João Custódio, apresentou-se ao vivo no Hot Clube, com o seu quarteto, tocou e gravou com o quarteto rock "Oh Calcutá desenvolveu um duo com o baterista João Lencastre e lançou a editora Flea Boy Records.

Dia 27 de Outubro, sábado- 22.00h

 

CARLA BLEY TRIO

Carla Bley piano

Andy Sheppard saxophone tenor e soprano

Steve Swallow contrabaixo

Carla Bley, figura grande do jazz, é uma pianista, compositora nascida em Oakland em 1936.

Iniciou a sua aprendizagem na música com o seu pai, um professor de piano e organista de igreja, a sua formação é auto didata.

Aos 17 anos muda-se para Nova Iorque e trabalha como "cigarette girl" no Clube de Jazz Birdland, onde conhece o pianista Paul Bley com quem casa e inicia a sua carreira.

Na década de 60 Carla Bley é uma importante figura no movimento free jazz, período em que inúmeros músicos gravam composições suas, George Russel, Jimmy Giuffre, Paul Bley, etc. Em 1964 esteve envolvida na criação do coletivo Jazz Composers Guild, que congregou os mais inovadores músicos de Nova Iorque da altura.

Com o seu segundo marido, o musico Michael Mantler lidera a Jazz Composer´s Orchestra e inicia a editora JCOA, que editará uma serie de gravações históricas, gravadas por Clifford Thornton, Don Cherry e Roswell Rudd.

Nos anos 70 Carla Bley e Michael Mantler formam a editora Watt Records, os dois foram pioneiros no desenvolvimento e distribuição de gravadoras independentes fundando, o já extinto, New Music Distribuition Service.

São inúmeros os músicos com quem Carla Bley colaborou, em todas as áreas da música, foi compositora e fez arranjos para a Charlie Haden´s Liberation Music Orchestra, escreveu para Gary Burton o trabalho " A genuine tong funreral ".

Detentora de uma extensa discografia que abrange várias editoras e formações viu o seu último trabalho de 2016, editado pela ECM, considerado pela revista Down Beat como uma masterpiece. "Andando El Tiempo", com Andy Sheppard, no saxofone e Steve Swallow no contrabaixo será, seguramente o que apresentará no Seixal.

Andy Sheppard, nasceu em Warminster em 1957, é um saxofonista e compositor inglês.

Aos 19 anos emerge na cena jazzística inglesa e no inicio dos anos 80 lança o seu álbum de estreia com Randy Brecker e Steve Swallow, trabalho que o levou a vencer o prémio de melhor iniciante nos British Jazz Awards em 1987 e em 1988 o melhor prémio de instrumentista. Em 1989 edita o seu segundo trabalho o álbum "Introductions in the dark", premiado nesse ano nos British Jazz Awards como melhor álbum e melhor instrumentista.

É grande a variedade de músicos e estilos com que Sheppard tem gravado, desde o percussionista Nana Vasconcelos, o violinista indiano L.Shankar ou o músico folk inglês Kathryn Tickell.

A sua primeira gravação para a ECM data de 2008, colaboração que mantém até hoje com gravações em duo ou trio com músicos de diferentes áreas.

Desde 1994 colabora em gravações com a pianista Carla Bley.

Steve Swallow, nasceu em New Jersey em 1940.

Iniciou os seus estudos no piano e trompete e aos 14 anos opta definitivamente pelo contrabaixo. Na década de 60 muda-se para Nova Iorque e integra o trio de Jimmy Giuffre com o pianista Paul Bley. Em 1963 integra o quarteto de Art Farmer.

Nos anos 70 opta pelo baixo elétrico.

Em 1973 colabora com Carla Bley iniciando uma série de gravações em 1979, parceria que mantém até hoje.

 

 

 
 
 
  Escritos e entrevistas  
 
   
Clubes  
Hot Five Jazz & Blues Club
 
   
Concertos  
 
   
Festivais  
 
   
Universidade de Aveiro
© 2006 UA | Desenvolvido por CEMED
 VEJA TAMBÉM... 
 José Duarte - Dados Biográficos