jazzportugal.ua.pt
HOME CONTACTOS BUSCA SUBSCRIÇÃO
 
agenda
media
escritos e entrevistas
músicos
jazzlinks
  escritos  ::  entrevistas  ::  trabalhos alunos UA  ::  e mail e fax  ::  riff  ::  Jazz de A a ZZ

escritos e entrevistas > lista de escritos > ver artigo
Inês Bernardo (voz jazzy) ***** disse desde Leiria
12-11-2019
 


José Duarte – por mero acaso recebi chez moi ‘Catraia’ cd que gostei e no qual a faixa ‘Agrião, Limão’ mereceu para mim ***** onde aprendeu a tendência jazz que seu cantar tem?

 

Inês Bernardo – aprendi aqui e ali. Sou apaixonada pelo jazz, gosto de ouvir, de cantar... nas aulas de instrumento (canto) tive sempre preferência por este repertório. 

 

 JD -  de investigação em investigação… descobri que é Mãe mas nunca consegui ouvê-la cantar… minto só num Youtube e aí a descobri e também Ricardo Silva um quase jazzman quer ele queira quer não… em guitarra portuguesa é um must… só ‘melhor’ que a Marta P da C… mas  em Ricardo há jazz… soube depois que o Pai de sua criança é baterista e toca consigo… conheço + tarde o rapaz Santo e foi no Hot em Lisboa e todos de Leiria que se passa em Leiria em relação ao jazz? a big band?

 

 IB – Leiria tem imensa gente ligada ao jazz. A big band é prova disso. Destaco o trabalho valiosíssimo desenvolvido pelo saxofonista César Cardoso também ele maestro da Orquestra de jazz de leiria. Acho que temos sorte, na verdade, porque estes instrumentistas não se limitam a ficar por Lisboa e regressam à sua cidade natal. 

 JD – ouviu e ouve vozes jazz? quais conhece e prefere?

 

IB – Tenho alguma preferência pela Maria João, desde pequenina. Acho que ela respira jazz, tem uma essência muito própria. Há muitas vozes que adoro, os clássicos como a Ella e a Billie, mas o meu coração está sempre muito próximo da Elis Regina.

 JD – ao usar uma nota que continua pelo tempo fora sem vibração ‘lisa’ cool será influência do jazz? de ter ouvido Miles O trompetista jazz?

IB – Ah Ah talvez... 

JD – sua Música gravada tem sucesso tal qual o número de concertos que estão a realizar?... será que jazz instrumental é difícil mas o cantar o aproxima do povo melhor do público?

IB –  Neste momento está  a ser mais importante o espectáculo ao vivo, é nele que focamos as nossas energias. Temos sem dúvida muita influência do jazz e sim, parece-me que o cantor faz uma boa ponte para o público em geral. Se bem que eu quando vou "ouver" jazz, normalmente tenho mais tendência para o instrumental. 

JD – a técnica vocal scat alguma vez a tentou? ouviu já a versão de Ella do standard «How High The Moon’ em scat?... se não ouviu não ouça… é ‘ofensivo’ 

IB – Ah Ah irei ouvir fiquei curiosa 

JD – se ligar o site jaz da UA Universidade de Aveiro www.jazzportugal.ua.pt poderá ouver Betty Carter… cantar melhor Cantar… ouveja e dê-me por fvr a sua opinião de músico que é e basta escrever:  www.jazzortugal.ua.pt e a seguir clicar e logo lhe surgem as imagens o video de Betty e dos seus 3 jovens jazzmen n-n-a…

IB – em breve lhe direi…

JD – tem reportório com temas standard? fala inglês?... mas bem pois o inglês não é cumo  o brasileira… não se imita o que é vergonhoso… semelhante ao cinema ‘traduzido’ isto é ouver Sinatra representar e cantar em português… o filme ‘Singing in the rain’ ‘dobrado’ em tuguês…

IB – Tenho repertório inglês sim. E falo inglês. Tenho muito contacto com a língua desde pequena, através de família e amigos, sempre viajei muito com os meus pais

JD – para além de certamente João a Maria que outras vozes femininas ou não prefere ouvir?

IB – É certo que Há gostos para tudo, não vou dizer que adoro tudo o que ouço por aí, mas isso é normal Tenho ouvido alguns intérpretes meus contemporâneos que gosto muito como a Marta Garret ou a Elisa Rodrigues. 

JD – conhece o cantar de Sara Serpa e Dinah Washington?

IB – conheço sim e gosto muito

JD – canta fado?

IB – canto. Já cantei mais... Acabei por achar que não sou fadista mas gosto de cantar um fado de vez em quando. 

JD – já experimentou ser solista de uma big band?

IB – Já cantei uns temas com a big band de Leiria e adorei, mal posso esperar para voltar a fazê-lo um dia destes 

JD – que gosta em Billie? a Holiday já leu em português a ‘autobiografia’ de Billie ‘Lady sings the blues’? Billie tinha uma voz bonita?...

IB – Tinha, adoro-a. Vi o documentário sobre a vida dela, identifiquei-me muito. Ela usava a voz de uma forma muito bonita acho eu. durante muito tempo ouvi repertório dela... 

JD – já cantou num clube de jazz cá na ‘nossa’ terra? e cumo reage quem a ouve num palco? gosta… pede mais melhor pede encores…

IB – em Lisboa nunca cantei... mas tenho esse desejo secreto, um dia quem sabe cá em Leiria já todos me conhecem, participo nas noites de jam quando posso.

JD – conhece flamenco? consegue bater as palmas cumo eles as batem?... eu não mas por vezes não sei se gosto muuuito de flamenco e só muito de jazz…

IB – eu cá gosto fomos a Espanha algumas vezes e fomos sempre muito bem recebidos 

JD – a menina dança?...

IB – danço Só não danço lá muito bem... mas danço na mesma Ah Ah....

JD – acha que dançar dá prazer cumo dá cantar?

B – sim... nos concertos danço imenso 

JD – que pensa do cantar de Manuel Linhares? nunca pensou cantar em duo… com um jovem cumo você o é? cumo eu com Teresa Paula Brito cantámos e gravámos in english nosso nome ‘The Strollers’… há quase 50 anos… 50

IB – Vou estar com ele para a semana talvez proponha a ML um dueto, pode ser que ele aceite

JD – ‘sente’ a Música de África os sons e ritmos africanos?  cumo bem noto no cantar de Maria João… são as partes onde Ela brilha e é mais aplaudida… sua Mãe era africana

IB – É a essencia dela, acho maravilhoso. Adoro profundamente os ritmos africanos. Sei o álbum Navega da Mayra Andrade de cor Também sou uma grande fã da Sara Tavares 

JD – a UA e JD agradecem suas ’confissões’ e keep cool...


 
  Escritos e entrevistas  
 
   
Clubes  

 
   
Festivais  
 
   
Universidade de Aveiro
© 2006 UA | Desenvolvido por CEMED
 VEJA TAMBÉM... 
 José Duarte - Dados Biográficos